Enquanto o interesse geral de estudar no Reino Unido cai, Portugal tem o maior crescimento entre os países da UE.

 

Portugal lidera mercado no Reino Unido

O Reino Unido é um grupo de países multiculturais que acolhe mais de 500 mil estudantes de cerca de 200 países de todo o globo. Parte deles, conta com o financiamento do governo britânico, e isso acontece porque o Reino Unido tem uma parceria com a UE que financia a licenciatura ou o mestrado de qualquer estudante europeu.

Com o início formal do Brexit, o interesse dos estudantes da UE em iniciar os seus estudos numa universidade britânica reduziu 6%, em comparação com o último ano. A contrariar esses números, Portugal teve um aumento de 17% nas candidaturas a universidades do Reino Unido em comparação com o último ano, e 45% em comparação com 2015, segundo dados divulgados pelo UCAS.

O anúncio do governo britânico do dia 21 de abril deu o que pode se chamar de última gota de esperança aos estudantes europeus ao confirmar o financiamento para os que desejam se candidatar a uma universidade britânica em 2018|2019.

“Os estudantes que já estão a estudar no Reino Unido e os que aproveitarem a oportunidade de se candidatar para o ano letivo 2018|2019 não se devem preocupar com o Brexit. Assim que o estudante aplica o financiamento dos estudos, o governo britânico garante o financiamento até ao final do curso, independentemente de quais forem as próximas diretrizes do processo de saída do Reino Unido da UE”, afirma Raimundo de Sousa, General Manager da OK Estudante, empresa que orienta estudantes que desejam estudar em universidades britânicas com as propinas financiadas.

Além do financiamento e do fato do Reino Unido ser um dos líderes mundiais em investigação académica, as vantagens que os estudantes portugueses encontram em fazer uma licenciatura ou mestrado numa universidade britânica são a obtenção da fluência na língua inglesa, a grande rede de contactos com pessoas de todo o mundo e uma aprendizagem mais prática – totalmente voltada para a inserção no mercado de trabalho – ao contrário do que acontece em Portugal.

Para Micaela Sapinho, estudante de Fashion Design na Anglia Ruskin University, em Cambridge, as vantagens são inúmeras e a decisão de sair de Portugal já está a dar frutos. “O Reino Unido oferece-nos muito mais oportunidades de emprego e reconhecimento, especialmente na área da moda.”

Micaela começou os seus estudos no Reino Unido há três anos, através da OK Estudante. Em março de 2016 apresentou o seu projeto “Mensagem” na Cambridge Style Week e em outubro do mesmo ano apresentou a sua primeira coleção no Sangue Novo, uma plataforma da Moda Lisboa para jovens designers.

Só este ano, através da OK Estudante, cerca de 1.200 estudantes portugueses embarcam para o Reino Unido com as propinas 100% financiadas. A partir de agora, entramos numa corrida contra o tempo, e há de ter atenção que quem está no controle do relógio são os britânicos.